A life committed to learning.

ISO 9001 e a Gestão de Projecto.

Já todos nós percebemos que a actual economia exige que os investimentos sejam feitos com mais cuidado, inteligência e rigor para que se obtenha o retorno esperado e sem surpresas.

As frentes são muitas, mas essencialmente, a maioria das empresas percebe que têm de ser mais “Lean“, eficientes, eficazes e oferecer produtos/serviços com mais qualidade.

Para combater na frente da qualidade as empresas apostam nos sistemas de gestão de qualidade. Pagam fortunas a empresas de consultoria e entidades certificadoras para terem os seus sistemas de gestão de qualidade certificados.

Para a certificação de sistemas de gestão de qualidade, o referencial normativo ISO 9001:2000 (ou a nova versão ISO 9001:2008) é o mais utilizado e reconhecido. O ISO 9001:2000 é parte de um conjunto de referenciais normativos que especifica o sistema de gestão de qualidade. O referencial normativo 9000:2005 define os fundamentos e vocabulário utilizado nos sistemas de qualidade enquanto o ISO 9004:2000 define um conjunto de linhas orientadoras para a melhoria contínua.

O normativo ISO 9001:2001 é uma abordagem à qualidade orientada a processos que se baseia em 8 princípios da gestão de qualidade. Todos os princípios devem ser seguidos, independente se existe ou não um sistema de gestão de qualidade certificado. Os oito princípios da gestão de qualidade, de acordo com o normativo ISO 9001:2000, são:

  • Focalização no cliente,
  • Liderança,
  • Envolvimento das pessoas,
  • Abordagem por processos,
  • Abordagem da gestão como um sistema,
  • Melhoria contínua,
  • Abordagem à tomada de decisão baseada em factos,
  • Relações mutuamente benéficas com fornecedores.

As especificações do sistema de gestão de qualidade do ISO 9001:2000 são implementadas de modo que os produtos ou serviços da empresa cumpram os requisitos de qualidade, i.e. que os produtos/serviços satisfazem as necessidades reais dos seu consumidores.

No entanto, especialmente em empresas de pequena dimensão, parece existir um grande mal entendido sobre a gestão de qualidade e gestão de projecto.

Não é raro ouvir-se falar em ISO 9001:2000 quando se pergunta sobre as metodologias de gestão de projecto que as empresas utilizam. É preocupante, no mínimo.

Enquanto um sistema de gestão de qualidade, como o ISO 9001, é de enorme valor, este, por si só, não é um sistema de gestão de projectos e não garante a qualidade dos resultados do projecto. O que garante a qualidade dos resultados dos projectos não são os processos, metodologias, normativos ou certificações. É a equipa do projecto. Os processos, metodologias e normativos ajudam as equipas de projecto a criar serviços/produtos que satisfazem as necessidades reais dos consumidores, e não ao contrário.

Por isso é importante que se reconheça o valor e os objectivos dos sistemas de gestão de qualidade. O controlo de configurações, gestão de incidentes, rastreabilidade, monitorização e medição, por exemplo, são características de um bom sistema de gestão de qualidade assim como de qualquer sistema de gestão de projectos, mas é necessário reconhecer que um SGQ ISO 9001:2000 é incompleto quando entramos na complexa área da gestão de projectos.

A gestão de qualidade é apenas uma pequena parte da gestão de projecto. E os objectivos de custo e de tempo?

Entre outros importantes aspectos, gerir um projecto é gerir a qualidade, o custo, o tempo, o âmbito, a satisfação do cliente e o risco para atingir os objectivos do projecto.

Existem normativos e metodologias que se encaixam perfeitamente e complementam os SGQ,  colocando as equipas de projecto numa posição privilegiada para conseguir criar produtos e serviços que satisfazem as necessidades não só dos seus clientes, mas também das empresas que aplicam esses normativos em gestão de projecto.

Um dos normativos que complementam os SGQ no âmbito dos projectos é o PMBoK® Guide (Project Management Body of Knowledge). O PMBoK® reúne o conhecimento sobre as melhores práticas na gestão de projecto. O PMBoK®, à semelhança do ISO 9001:2000 é orientado a processos e contém um total de 42 processos (PMBoK Fourth Edition), distribuídos por cinco grupos de processos e nove áreas de conhecimento.

Este grupos de processos e áreas de conhecimento podem aplicar-se a todos os projectos, independentemente da sua dimensão ou indústria. Os grupos de processos seguem a lógica de qualquer projecto: Iniciação, planeamento, execução, monitorização e controlo e fecho do projecto.

As áreas de conhecimento, definidass no PMBoK® como as necessárias para a gestão da maioria dos projectos, são:

  • Gestão de Âmbito do projecto,
  • Gestão de Tempo do projecto,
  • Gestão de Custo do projecto,
  • Gestão de Qualidade do projecto,
  • Gestão de Recursos humanos do projecto,
  • Gestão de Comunicação do projecto,
  • gestão de Risco do projecto,
  • Gestão de Compras do projecto,
  • Gestão de Integração do projecto (enquanto todas as outras oito áreas são lógicas e fáceis de perceber, esta por vezes não. Basicamente a gestão de integração do projecto consiste nos processos necessários para identificar, integrar e coordenar todos os restantes processos dos grupos de processos).

No entanto o PMBoK® não é uma metodologia de gestão de projecto. O PMBoK® define um corpo de conhecimento em gestão de projecto. As empresas têm de ser capazes de aplicar o conhecimento do PMBoK® e definir a própria metodologia de gestão de projecto, de acordo com a realidade da empresa e da indústria.

Enquanto o ISO 9001:2000 define os requisitos necessários de um Sistema de Gestão de Qualidade, a qualidade é apenas um dos aspectos da gestão de projecto. É importante ter o conhecimento sobre normativos e metodologias em gestão de projecto para que o resultado dos projectos estejam de acordo com as expectativas dos clientes e do negócio.

Para aumentar a probabilidade dos projectos gerarem o retorno desejado e sem surpresas, é necessário saber quais os objectivos de cada normativo e, sem esquecer, que os processos, metodologias e normativos ajudam as equipas de projecto a criar serviços/produtos que satisfazem as necessidades reais dos consumidores, e não ao contrário.

Nota. Obrigado miguelferrer por algumas correções.

jpereira

http://jpereira.eu

View more posts from this author
One thought on “ISO 9001 e a Gestão de Projecto.
  1. Pingback: Gestão de projecto Web – Manter simples quando é simples… « Dreamfeel – Joao Ledo Fonseca

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *