A life committed to learning.

Microsoft nas núvens

Só hoje descobri que a Microsoft já tem a sua plataforma de “Cloud Computing“. Com o Azure Service Platform, os developers podem, como já podem há algum tempo fazer com o Amazon WS, distribuir as suas aplicações na rede.

Windows® Azure is a cloud services operating system that serves as the development, service hosting and service management environment for the Azure Services Platform. Windows Azure provides developers with on-demand compute and storage to host, scale, and manage Web applications on the Internet through Microsoft® data centers

Os developers que se atreveram a experimentar cedo este serviço, já experimentaram também 24 horas (+/-) de quebra de serviço.

http://social.msdn.microsoft.com/Forums/en-US/windowsazure/thread/6c1cd8a2-8d9d-43e9-a1d8-928e0ca4de78

http://blogs.zdnet.com/BTL/?p=14698

http://www.theregister.co.uk/2009/03/16/azure_cloud_crash/print.html

Tenho lido bastante sobre as tendênicas do cloud computing, mas estas quebras de serviço não têm ajudado a ganhar a confiança merecida. Talvez por causa disso, algumas estratégias passam por disponibilizar as mesmas aplicações offline, como é o caso do Google Calendar.

Pessoalmente acredito neste novo paradigma que economicamente faz muito sentido e também compreendo todo cepticismo envolvido.

Acho que negar esta realidade pode ser perigoso para as empresas que não reconhecem o cloud computing como uma forma de vantagem competitiva.

O que acham?

jpereira

http://jpereira.eu

View more posts from this author
9 thoughts on “Microsoft nas núvens
  1. Paulo Pires

    O cloud computing é para mim um simples migrar das despesas de manter um datacenter para um provider. Conceito interessante de facto!

    No entanto o futuro espreita com sistemas operativos distribuídos.

     
  2. Paulo Pires

    O cloud computing é para mim um simples migrar das despesas de manter um datacenter para um provider. Conceito interessante de facto!

    No entanto o futuro espreita com sistemas operativos distribuídos.

     
  3. Pedro

    Acho que o disponibilizar aplicações offline não tem nada a ver com isto. As aplicações offline fazem sentido para usares os serviços quando não tens conectividade! Isto porque a tendencia é cada vez mais os dados estarem em rede, mas é preciso uma solução de os ter tambem em modo offline.

     
  4. Pedro

    Acho que o disponibilizar aplicações offline não tem nada a ver com isto. As aplicações offline fazem sentido para usares os serviços quando não tens conectividade! Isto porque a tendencia é cada vez mais os dados estarem em rede, mas é preciso uma solução de os ter tambem em modo offline.

     
  5. jpereira

    @Luis, obrigado
    @Paulo, gostava de saber mais sobre os sistemas operativos distribuídos 🙂
    @Pedro, a minha opinião é que algumas empresas que fornecem serviços online tentam mitigar o risco das quebras de serviço (não ter acesso à Internet, ou o próprio serviço falhar,…) através da oferta do mesmo serviço (ou alguma parte) offline. Também a economia dos sistemas mais tradicionais ainda é mais apelativa para os vendors 🙂 http://www.scribd.com/doc/13394968/Fortune-Jan-Google-News

     
  6. jpereira

    @Luis, obrigado
    @Paulo, gostava de saber mais sobre os sistemas operativos distribuídos 🙂
    @Pedro, a minha opinião é que algumas empresas que fornecem serviços online tentam mitigar o risco das quebras de serviço (não ter acesso à Internet, ou o próprio serviço falhar,…) através da oferta do mesmo serviço (ou alguma parte) offline. Também a economia dos sistemas mais tradicionais ainda é mais apelativa para os vendors 🙂 http://www.scribd.com/doc/13394968/Fortune-Jan-Google-News

     
  7. Web Design Ápice Internet

    Acho que o disponibilizar aplicações offline não tem nada a ver com isto. As aplicações offline fazem sentido para usares os serviços quando não tens conectividade! Isto porque a tendencia é cada vez mais os dados estarem em rede, mas é preciso uma solução de os ter tambem em modo offline.

    Pedro, soluções em offline, tirando intranet, é mesma coisa que ficar no disco rígido. Seria desnecessário.

     

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *