A life committed to learning.

Tag: Innovation

Onde está a inovação? Estará morta?

No meu google reader apareceu mais um manifesto de Umair Haque, que também é autor do manifesto “Finance 2.0” . Com este novo manifesto apresenta-nos a visão dele sobre o novo significado de inovação.

Para não confundir a inovação do século XX com a inovação do sec XXI, Umair Haque decidiu chamar  “Awesomeness” a esta inovação do século XXI, o que em português se poderia traduzir por qualquer coisa com o velho “fixe”, do século XX :).

Umair Haque dá o exemplo de como Steve Jobs revolucionou o mercado com o iPod e o iPhone, p.exemplo.

O “Awesomeness Manifesto“, como se chama, termina com o sumário do que é afinal a inovação do século XXI, de acordo com a visão de Umair Haque :

Let’s summarize. What is awesomeness? Awesomeness happens when thick — real, meaningful — value is created by people who love what they do, added to insanely great stuff, and multiplied by communities who are delighted and inspired because they are authentically better off. That’s a better kind of innovation, built for 21st century economics

Para ver todo o manifesto: http://blogs.harvardbusiness.org/haque/2009/09/is_your_business_innovative_or.html

Continue Reading

The political temperature of your organization.

You belong to an organization no matter if you work for your own or work for unknow shareholders.

@joaomrpereira and @innomgmt are now following each other at Twitter.  @innomgmt has a LinkedIn group that is a community

Working together to dramatically improve Innovation Management effectiveness, to share experiences, and to explore new models and methods.

I’ve found this very interesting and joined. I had the chance to take the survey recommended by Andrew Loveless on the discussion “Discover the Political Temperature in your Organisation.” and I’m now waiting for the detailed results at my email. From the results I have immediately, they seems pretty much accurate.

Of course I will not discuss my results here, as you may understand, but from the first results I have, there’s a lot of good insights to keep.

Take your time to take the survey at http://www.relayconsultants.com/politicalbenchmarksurvey/ and think at least for five minutes per screen. If you find yourself stuck in some of the screens it’s good sign. Take the time to make an retrospective on your last projects and discuss with your colleagues if possible. At the end discuss the results with your organization.

Continue Reading

Modelo N=1, R=G

No modelo de produção de Ford, conhecido por Fordismo,  o consumidor é um vasto grupo de pessoas (Mass Marketing) com as mesmas necessidades e desejos. No Fordismo, existe uma ilha de recursos dentro e para a empresa. O conhecimento, capacidade operacional e inovação nasce e vive dentro dessa ilha.

Mas a dinâmica dos novos mercados é hoje mais complexa e misteriosa. São muitas as variáveis. A globalização, a tecnologia e a comunicação ubíqua. Além disso, os consumidores são cada vez mais expressivos a exigir qualidade, personalização, comodidade e facilidade de utilização dos novos produtos e serviços.

Continua a acreditar que os antigos modelos de negócio vão ser rentáveis? Como o foram quando eles começaram a ser utilizados? Pode ser uma verdade para alguns negócios, mas uma falácia para outros. Eu acredito nisso!! Eu quero produtos e serviços adaptados às minhas necessidades e não as minhas necessidades adaptadas a um grupo de pessoas!

Prahalad e Krishnan, no livroThe New Age of Innovation, apresentam um novo modelo para criação de valor, constante inovação e crescimento. O modelo assenta sobre dois pilares. N=1 e R=G, ou seja:

  • N=1: Um milhão de consumidores é um consumidor. Os esforços devem ser concentrados na experiência de um consumidor de cada vez.
  • R=G: Outsourcing de actividades fora do core business das empresa. Mover-se numa cadeia global de múltiplos fornecedores de serviços e produtos.

E agora?

Será que é mais um trabalho que vem reforçar a mensagem de James C. Anderson e James Narus em “Business Marketing: Undestand What Customers Value“? E de Ian MacMillan  e Rita McGrath em “Discovering new points of Differentiation” ou em “Market Busting: Strategies for Exceptional Business Growth“?

Ficam mais alguns recursos no caso de querer aprofundar o assunto.

Continue Reading